CASAMENTO: Perigos que precisamos atentar antes desse grande dia chegar.



Casar é bom! Casar em Cristo é melhor ainda!

Estas frases tiramos por conclusão depois de lermos o artigo dos nossos irmãos, amigos e companheiros Alan e Laila.

Também somos recém-casados, a penas 2 anos de uma união que durará até o dia que Cristo levar um de nós (ou os dois juntinhos). Ainda são bodas de papel!

Bom, esses ditos dois anos tem sido de grandes descobertas, não só em relação às individualidades de cada um de nós, mas principalmente quanto aos sonhos e agir de Deus através do nosso casamento. Nem sempre tudo está um “mar de rosas”, mas é bom saber que Jesus, como terceiro integrante da aliança, nos faz superar, perdoar e pedir perdão  e como é difícil essa parte! (Pedir perdão a quem convive e dorme com você).

Mas não queremos ser repetitivos no assunto tratado pelos nossos irmãos. Sabemos que um casamento em que Jesus e o seu Reino não são o principal foco, torna-se muito mais vulnerável às investidas de satanás, e por isso precisamos de Cristo na nossa união.

Queremos compartilhar com vocês a importância de estarmos vigilantes em todo tempo, para não sermos convencidos pela sutileza do nosso inimigo.

“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca.”


Depois de uma adolescência intensa, vivida sempre regada por grandes momentos, com Cristo e com os irmãos, renunciando e, às vezes, caindo e confessando os pecados causados pelo fervilhão hormonal que enfrentamos, chegamos, finalmente à juventude! Começa então os sonhos, os projetos profissionais, e tantas outras novidades que a responsabilidade maior nos traz.

Com essa juventude, chegam também em certo momento as maturidades espiritual, emocional, física e financeira para o tão idealizado relacionamento e casamento. Ufa! Foi difícil, mas chegou!

E olha que nós dois esperamos por seis anos essa maturidade chegar. Acreditamos que nunca viveremos seis anos tão longos quanto esses até completarmos 18 anos (Jéssica) e 21 (Daniel), para então começarmos a planejar nosso casamento. Ôh seis anos de muita oração e renuncia foram esses em que convivemos com o sentimento que tínhamos sem, ainda, podermos alimenta-lo.

Com o começo do relacionamento, precisamos permanecer muito mais atentos e cuidadosos, pois a todo momento a nossa carne nos inclina a cairmos. Passamos por muita dificuldade nesta área, verdadeiras crises! “Como estar perto sem sentir desejos, sem querer carícias?” Mas é sempre valioso ouvir os conselhos dos mais experientes, sejam de nossos pais, líderes, discipuladores, pastores, ou amigos que já estão casados, pois certamente enfrentaram lutas iguais às nossas. E dizemos lutas porque são guerras travadas com nossa carne e com o inferno!

“Com medidas de prudência farás a guerra; na multidão de conselheiros está a vitória” Provérbios 24:6

Tendemos no decorrer do relacionamento a adquirir intimidade, intimidade esta que nos expõe demasiadamente ao pecado, fazendo-nos esquecer que o nosso corpo é para santificação e honra do nosso pai.

“Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da fornicação;

Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra;
Não na paixão da concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus.
Ninguém oprima ou engane a seu irmão em negócio algum, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas, como também antes vo-lo dissemos e testificamos.
Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação.
Portanto, quem despreza isto não despreza ao homem, mas sim a Deus, que nos deu também o seu Espírito Santo.”

Sabemos que não é fácil, às vezes, evitarmos estar perto de quem amamos, principalmente quando estamos ansiosos e nos preparando para o casório. Mas para a nossa saúde espiritual, em determinados períodos, de fato, é o melhor a ser feito. Ou seja, fuja da tentação da carne ainda que se pareça com quem você vai se casar!

A manutenção da nossa santidade não é apenas para nos livrar das consequências do pecado, mas, principalmente, porque amamos ao Senhor e entendemos que somos sua casa.

Devemos ter cuidado para não evitar o pecado por medo das consequências que nos trará, ou de sermos condenados ao inferno. Antes, evitamos o pecado porque amamos a Cristo acima de tudo e não queremos entristecer o Seu coração, muito menos vivermos a eternidade longe de Deus.

Por fim, reconhecemos que foi difícil, muito difícil, mas ouvindo, aconselhando-nos na Palavra do Senhor e com os irmãos encontramos a força necessária para superar dois anos de relacionamento em que a nossa carne sempre tentava superar o nosso espirito.

Hoje, podemos compartilhar e aconselhar aos adolescentes que esperem em Cristo e vivam intensamente cada segundo da sua adolescência com Jesus, e aos jovens que já se relacionam para o casamento ou que estão perto desse momento, que fujam sem medo quando suas carnes vos inclinarem ao pecado, pois além de alegrarmos a Cristo, nossa recompensa é muito boa!

Por fim, testemunhamos que na medida em que o nosso casamento se aproxima, o diabo tenta nos convencer de que já temos certos “direitos”, o que não passa de engano para tentar fazer a nossa união como marido e mulher começar com problemas de santidade. Sendo assim, precisamos buscar sempre ao Senhor e viver em comunhão, renunciando todos os dias às nossas vontades, para desfrutarmos com intensidade dos sonhos de Deus!

   


Grande abraço de Dan e Jéu.  


0 comentários: