Cumpra seu chamado, não importa o caminho.


Sabemos que Deus tem um projeto pra nós. Um plano que ele escreveu para que vivêssemos. Mas, esse projeto (pessoal) de Deus pra nós nem sempre é claro. Podemos observar na Palavra várias histórias de homens de Deus que foram chamados para cumprir o plano Dele mas que tiveram o caminho traçado por Deus de formas bem diferentes.

Noé foi um desses homens. Com ele Deus foi bem claro. Ele o chamou para construir a arca e lhe deu instruções claras de como deveria ser, lhe deu medidas, formas, materiais... Deus foi totalmente claro com Noé. Já com Abraão foi diferente. Deus o chamou para sair da terra, da parentela e ir para um terra que Ele mostraria. Deus não disse a Abraão que terra era essa, como seria, ele não foi claro. Ele simplesmente disse: Saia, deixe tudo e vamo comigo. E o outro foi Moisés. Durante a vida de Moisés, Deus foi orientando-o, com etapas, foi um processo que ia acontecendo conforme a vontade de Deus e necessidade do momento.

Mediante a isso, podemos ver que Deus pode ser clarinho, como com Noé, pode não ser claro, como com Abraão ou pode dá a clareza durante o caminho, como com Moisés.

Esse homens embora estivessem com o projeto de Deus de formas bem distintas tinham algo em comum e que é a chave para a realização do projeto que é a OBEDIÊNCIA. Todos ouviram a direção de Deus e obedeceram.

Que possamos ser esses, que ouvem a voz/direção de Deus e obedecem, seja ela clara ou não. Estejamos sempre a disposição de Deus para servi-Lo como Ele desejar.


- Jamille Dória

Porque O amamos?



“Nós amamos porque Ele nos amou primeiro” (1João 4:19)



No planeta não existe luz, a não ser aquela que vem do sol; e no coração não existe amor verdadeiro por Jesus, a não ser aquele que vem do próprio Senhor Jesus. Todo nosso amor por Deus precisa brotar da fonte transbordante do Seu infinitivo amor. Esta deve sempre ser uma verdade clara e sublime: que nós O amamos por nenhuma outra razão além da que Ele nos amou primeiro. Nosso amor por Ele é a “conseqüência justa” de Seu amor por nós. Quando alguém estuda os feitos de Deus pode sentir uma fria admiração, no entanto, o calor do amor só pode arder no coração pelo Espírito de Deus. Que grande maravilha que, dessa forma, sempre seremos absolutamente constrangidos a amar Jesus! Que maravilha que, depois de termos nos rebelado contra Ele, ao revelar esse amor surpreendente, Ele procurasse nos receber de volta. Não! Jamais teríamos um grão de amor por Deus a menos que isso tivesse sido implantado em nós pela delicada semente de Seu amor. O amor, então, tem como pai o amor de Deus derramado no coração: mas, depois de nascer divinamente, ele precisa serdivinamente nutrido. O amor é exótico; não é uma planta que florescerá naturalmente em solo humano, ele precisa ser regado de cima. O amor a Jesus é uma flor de natureza delicada, e se ele não recebesse nenhuma nutrição, exceto aquela que pode ser extraída da rocha de nossos corações, ele rapidamente murcharia. Assim como o amor vem do céu, assim também precisa ser alimentado com pão celestial. Ele não pode subsistir no deserto a menos que seja alimentado pelo maná que vem de cima. Amor precisa ser alimentado com amor. O genuíno espírito e a genuína vida de nosso amor por Deus é Seu amor por nós.

“Te amo, Senhor, não com o meu amor,

Pois nada tenho para dar;

Te amo, Senhor; mas todo o amor vem de Ti,

Pois eu vivo pelo Teu amor.

Nada sou, e me alegro em ser

esvaziado, perdido, e consumido em Ti”.

Charles Haddon Spurgeon

TENTAÇÃO?


"Nenhum homem sabe quão mau ele é, até que ele tenha tentado de toda maneira ser bom. Uma ideia tola, mas muito atual é que as pessoas boas não conhecem o significado ou não passam por tentações. Isto é uma mentira óbvia. Só aqueles que tentam resistir a tentação, sabem quão forte ela é. Afinal de contas, você descobre a força do exército inimigo lutando contra ele, não cedendo a ele. Você descobre a força de um vento, tentando caminhar contra ele, não se deitando ao chão. Um homem que cede ante a tentação depois de cinco minutos, simplesmente não sabe o que teria acontecido se tivesse esperado uma hora. Esta é a razão pela qual as pessoas ruins, de certa forma, sabem muito pouco sobre sua maldade. Elas viveram uma vida abrigada por estarem sempre cedendo. Nós nunca descobrimos a força do impulso mal dentro de nós, até que nós tentamos lutar contra ele: e Cristo, porque Ele foi o único homem que nunca se rendeu a tentação, também é o único homem que conhece completamente o que tentação significa–o único realista no total sentido da palavra”. - C. S. Lewis

Bem-aventurado o homem que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam. Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência.Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte. Tiago 1:12-15

FAÇA COMO JESUS, RESISTA A TENTAÇÃO!

Por: Jamille Dória.



Brilhe, Ostente, Seduza.


Todos querem brilhar. De uma forma ou de outra, todos buscam aparecer, chamar atenção... As estratégias são as mais diferentes possíveis. Som de carro, jóias, roupas, sapatos, decorações, celulares, TVs, carros, corpo, viagens... A lista é imensa.

À procura pelo brilho, infelizmente, tem chegado até no meio "gospel". Muitos dos "artistas" cristãos tem exposto nas redes sociais esse brilho, deixando a simplicidade do evangelho para se conformar ao padrão secular. E eles tem seguidores. Outros "irmãos" que os tem como exemplo se tornando também participantes da "ostentação gospel".

E você? Onde se encaixa? Enquanto lia o texto de Mateus 5, Deus me fez algumas perguntas. Eu participava de um retiro de jovens e adolescentes quando isso aconteceu. Compartilhei as perguntas com os que estava lá e agora as fareis a vocês. 

Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.
Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.


Como as pessoas te veem? Qual o seu brilho? O que você refletido? Luxo? Beleza? Sedução? Ostentação? Esperteza? 

Como discípulos, fomos chamados para brilhar. Mas a luz que sairá de nós é a de Cristo em nós. A luz que refletirmos deve levar as pessoas a dar glória a Deus e não a nós. Nós como discípulos, fomos chamados a ser conformes a imagem de Jesus. Isso acontecerá quando nos aproximarmos Dele. Quanto mais andamos com alguém, mas nos parecemos com essa pessoa não é mesmo? Da mesma forma é com Jesus. Quanto mais andarmos com Ele, em oração e leitura da palavra brilharemos com Seu brilho. 

Brilhe.
Seja a luz do mundo.
Seja semelhante a Jesus.

- Jamille Dória.

Casais: Não se isolem, nunca!


Ele olhou, ela entendeu. Dela saiu um riso quase imperceptível, mas ele compreendeu… É a vida de um casal, uma vida a dois, de amigos verdadeiros. Não necessita de muitas palavras, eles se conhecem, se entendem. Basta reparar quantos brilhos e raios saem de seus olhos, de suas faces. Conversa sem palavras.
É muito bom! É tão bom que tendemos a nos fechar em nós mesmos. Mas não podem se isolar. Nenhum casal subisiste só em si mesmo. Necessitam de amigos, casados e solteiros. Amigos do casal. Amigos dos dois. Não amigos dele ou dela, mas amigos dos dois.
“O olhar de amigo alegra ao coração.” Provérbios 15:30.
Você pode ter amigos, se quiser, basta apenas um sorriso, se quiser, e buscá-los onde estão… se quiser! Isso mesmo, não é difícil. Comece sendo amigo. Convide. Abra os ouvidos. Escancare o coração. Doe-se. Você verá que em pouco tempo tem amigos mais chegados que irmãos. Planeje encontros, separadamente e junto com outros. Abra sua casa.
Cada vez mais há uma corrida para a solidão. Cada vez mais os homens preferem ficar no seus cantos. Cada um quer fazer a sua tarefa e, de preferência, enviar pela internet. Mas somos chamados para ser diferentes deste mundo. Somos chamados para salgar, e não nos tornar insípidos.
“O solitário busca o seu próprio interesse e insurge- se contra a verdadeira sabedoria.” Provérbios 18:1.
Não se isolem. Façam amigos. Amigos para proclamar a palavra. Amigos para discipular juntos. Amigos para louvar e cantar. Amigos para rir. Amigos para chorar. Amigos para viajar. Amigos para simplesmente serem amigos. Não importa, façam muitos amigos. E sejam muito amigos.
Cuidado, a amizade com o mundo é oposta a Deus (Tg 4:4). Fuja desta. Que todas as amizades apontem para Deus, sempre!



Texto retirado do blog: minhavidacristã.com

POR FAVOR, SEJA FORA DE MODA


Eu escrevi o livro Unfashionable (“Fora de moda” N.T.) para afirmar que os cristãos fazem a diferença nesse mundo quando são diferentes dele; eles não fazem nenhuma diferença ao serem iguais a ele.Minha maior preocupação (que me levou a escrever o livro) é que muitos cristãos, especialmente na América, parecem estar tão fascinados com sucesso, popularidade, poder e prestígio quanto as pessoas que estão ao seu redor. Materialismo, consumismo, individualismo e narcisismo – ideais culturais que são a antítese da natureza sacrificial do Evangelho – estão prevalecendo tanto dentro da igreja, como fora. É triste que a igreja americana seja mais conhecida por produzir estrelas auto promovidas do que servos humildes.

Se cristãos praticantes fizessem uma lista honesta de quais objetivos e desejos os motivam, descobriríamos que eles não são realmente diferentes do mundo ao nosso redor. Portanto, não temos nenhum direito de apontar o dedo em acusação para aqueles que estão do lado de fora da igreja por conta da situação do mundo atualmente. Muitos estudos mostram que cristãos são praticamente iguais aos não cristãos no que se trata de buscar fama e fortuna. Cristãos querem se adaptar como qualquer pessoa. Então nós, como qualquer pessoa, gastamos nosso tempo, dinheiro e intelecto buscando o que todos estão buscando, seja lá o que for.

O problema é: eu quero ser um grande cristão, e eu quero que você também seja. Eu quero que a igreja esteja cheia de pessoas como Policarpo. Policarpo foi um homem cheio do Espírito; eu quero ser um homem cheio do Espírito. Toda a existência de Policarpo foi dedicada a Deus e seus caminhos ‘fora de moda’. Nada além disso pode explicar sua perspectiva divina durante o momento mais difícil de sua vida. Ele se recusou a desistir e se deixar levar. Para ele, seguir a Deus não era uma piada ou um concurso de popularidade. Era um homem inebriado por Deus que viveu sua vida coram Deo (perante a face de Deus) e que não tinha medo de qualquer coisa que esse mundo pudesse fazer a ele.
Eu não sei você, mas eu não quero brincar com a minha vida. Eu quero largar tudo em nome de Cristo. Eu não quero que minha espiritualidade tenha um quilometro de comprimento e um centímetro de profundidade. Eu quero ter a coragem de não me importar e ser fora de moda. Sinto-me envergonhado por aqueles momentos em que tenho medo de ser ridicularizado em nome de Cristo por que o mundo pode pensar que eu sou muito estranho. Eu quero seguir incansavelmente a Deus e a sua vontade, independentemente do que vão pensar de mim. Quero viver minha vida, como diriam os Puritanos, diante de “uma platéia Única”.

Cristãos que tentam convencer o mundo ao seu redor que não são diferentes em nada, esperando ser aceitos pelos padrões do mundo deveriam se envergonhar. É hora dos cristãos aceitarem o fato de que são pessoas peculiares. Já que os verdadeiros seguidores de Jesus receberam um novo coração e uma nova mente, devemos agir de acordo com um novo padrão, com objetivos e motivações diferentes. Tudo ao nosso respeito – nossa perspectiva sobre riquezas, estilo de vida e relacionamentos – deve ser fundamentalmente diferente do mundo ao nosso redor: “Adoramos o que não podemos ver, amamos o que não podemos tocar, e vivemos pelo que não podemos possuir”. Para o mundo ao nosso redor, isso vai parecer diferente, sem graça, e estranho; passou da hora dos seguidores de Jesus aceitarem isso.

TULLIAN TCHIVIDJIAN

Traduzido por Filipe Shulz 

Fonte: reforma21.org